Uma discussão sobre o gerenciamento de dados hidrometeorológicos

Por Júlia Costa
M. Sc. e Engª. Sanitarista e Ambiental

De 16 a 20 de março, especialistas da Agência Nacional de Águas (ANA) e do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês) se reúnem na sede da agência reguladora, em Brasília (DF), para tratar de sistemas de gerenciamento de dados hidrológicos – ambas as instituições têm colaboração técnica no tema.

Durante o encontro, acontecerá uma avaliação da situação atual dos sistemas de gerenciamento de dados hidrológicos da ANA e propostas para evolução de tais ferramentas.

Durante as reuniões, a equipe técnica da ANA apresentará sistemas utilizados para gerenciamento de dados hidrológicos da rede convencional de monitoramento (Hidro), da rede telemétrica (Telemetria), de tratamento de dados (SIADH) e de publicação de dados (Hidroweb). Por sua vez, os especialistas do USGS mostrarão como funcionam os sistemas da instituição e propostas da evolução dos sistemas da Agência. 

A ANA e o USGS têm trocado experiências sobre sistemas de Tecnologia da Informação (TI) e as instituições pretendem realizar uma série de reuniões entre seus especialistas sobre os seguintes temas: sistemas de gerenciamento de dados hidrológicos, sistemas e fluxo de processamento e análise de dados telemétricos (nível de rios e vazão, por exemplo).” Fonte: Agência Nacional das Águas.

Apesar da Rede Hidrometeorológica Nacional possuir número significativo de estações, as informações ainda são bastante escassas em virtude da elevada densidade hidrográfica brasileira e da recente cultura de monitoramento hidráulico-hidrológico instalada no país. Entretanto, esse monitoramento vem aumentando sua densidade ao longo dos anos e modernizando suas tecnologias. Atualmente é possível obter informações sobre qualidade de água e sedimento, além das informações pluviométricas e fluviométricas, com maior frequência de dados.

Espera-se ainda que a ANA, como entidade federal responsável pela coordenação do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, juntamente com outros órgãos competentes, amplie a discussão sobre o tema e debata também sobre a disponibilidade de dados monitorados de forma independente.

A rede de monitoramento hidrometeorológica brasileira hoje conta com 14.822 estações, das quais aproximadamente um terço é monitorada pela ANA. As demais estações são operadas por outras instituições públicas e privadas. No entanto, várias dessas estações não disponibilizam os dados monitorados para consulta pública apesar de terem o cadastro no Sistema de Informações Hidrológicas e estarem em operação. Parte dessas estações são operadas por órgãos públicos e outras tantas operadas por órgãos privados por exigência de órgãos público, os quais são detentores dessas informações. O fornecimento dessa vasta gama de informações já obtidas é de extrema importância para a sociedade, já que tais informações são utilizadas para produzir estudos, definir políticas públicas, avaliar a disponibilidade hídrica e identificar possíveis conflitos de uso da água.

Medicao de Nivel