Mais da metade da população mundial sofre com escassez severa de água, dizem especialistas

Por Chris Mooney para The Washington Post
Publicado em 12 fevereiro de 2016
Nova pesquisa alarmante descobriu que 4 bilhões de pessoas ao redor do mundo – incluindo perto de 2 bilhões na Índia e na China – vivem em condições de extrema escassez de água pelo menos um mês durante o ano. Meio bilhão, enquanto isso, sofrem com a falta de água durante todo o ano.
O Mar de Aral em 2015. O corpo de água encolheu em tamanho dramaticamente nos últimos anos devido à retirada de água dos rios que o alimentam. (Observatório da Terra NASA). Fonte: The Washington Post

O novo estudo, realizado por Mesfin Mekonnen e Arjen Hoekstra, da Universidade de Twente, na Holanda, utiliza um modelo global de alta resolução para examinar a disponibilidade de “água azul” – tanto de água doce superficial quanto de subterrânea – em comparação com a sua demanda pela agricultura , indústria e necessidades domésticas humanos. O modelo – com resolução que 60×60 quilômetros no equador – também levou em conta fatores climáticos, ecológicos (quanta água é necessária para sustentar um ecossistema fluvial ou lago) e outras causas de depleção como a evaporação simples.

“Nós achamos que 4 bilhões de pessoas vivem em áreas que sofrem escassez severa de água, pelo menos, uma parte do ano, o que é mais do que se pensava anteriormente, com base nesses estudos anteriores feitos em uma base anual”, diz Hoekstra, que publicou o trabalho na Science Advances Friday. “Você tem que olhar realmente mês a mês, a fim de monitorar a escassez.”

Esses estudos anteriores tinham encontrados totais de cerca de 1,7 e 3,1 bilhões, em vez dos atuais 4 bilhões. O novo total inclui 120 milhões de pessoas que vivem nos Estados Unidos, principalmente na Califórnia, bem como outros estados ocidentais.

A demanda de água está aumentando em todo o mundo com o crescimento da população e da agricultura, mas o estudo diz que há água total global suficiente para todas as necessidades. No entanto, o problema é que não é sempre suficiente em todos os locais onde ela é necessária, quando é necessária.

“Os altos níveis de escassez de água parecem prevalecer em áreas com alta densidade populacional, quer … ou com a presença de muita agricultura irrigada … ou ambos”, escrevem os autores. Na verdade, eles também observam que em partes-chave do mundo – incluindo as bacias hidrográficas do rio Ganges e do rio Limpopo – “o consumo de água e sua disponibilidade são anticíclicos, com o consumo de água sendo maior quando a disponibilidade de água é menor”.

De longe, a principal fonte de demanda de água humana é a agricultura, diz Hoekstra, seguido pelo setor industrial. Casas humanas individuais tendem a exigir o mínimo de água em geral, cerca de 1 a 4 por cento do total, diz ele.

No estudo, condições de escassez severa de água estavam determinadas a existir em uma área em que havia o dobro da demanda de água frente sua disponibilidade.

É importante salientar, Hoekstra diz, que a escassez de água não significa que os seres humanos, de repente irão ficar sem água potável. Em primeiro lugar, é possível encontrar condições de escassez quando se retira mais água do que do que o necessário para alimentar de maneira sustentável rios, lagos ou sistemas de águas subterrâneas. Isso é exatamente o que aconteceu no Mar de Aral, na Ásia Central (foto acima), que o jornal chama de “o exemplo mais proeminente de um lago a desaparecer como resultado da redução da vazão do rio.”

Além disso, se ocorrer grave escassez de água, o impacto principal é geralmente em sistemas agrícolas e agricultores, uma vez que eles precisam de mais água.

“Você nunca pode dizer que as pessoas não têm água potável por causa da escassez de água”, diz Hoekstra. “É realmente sobre a água limitada à agricultura, por isso impacta os agricultores e a segurança alimentar”. Assim, o que a pesquisa realmente destaca é que as regiões podem enfrentar crises alimentares no futuro, caso aconteça baixa quantidade de precipitação ou se entre em um período prolongado de seca.

Em tais situações, o que importa a seguir é a riqueza ou a pobreza. Sociedades ricas podem comprar sua comida e sua água de outros lugares. os pobres estão em uma situação totalmente diferente.

“Se é um país pobre, então o país estará realmente em apuros, e as pessoas não terão nenhum alimento”, diz Hoekstra.

Ou como o estudo conclui: “A humanidade precisa aumentar sua demanda por água doce protegendo os ecossistemas ao mesmo tempo, mantendo assim pegadas d’água azul dentro de níveis máximos sustentáveis ​​por bacia hidrográfica. Esse será um dos desafios mais difíceis e importantes do século XX.”

 

Para maiores informações, acesse:

https://www.washingtonpost.com/news/energy-environment/wp/2016/02/12/the-world-has-even-bigger-water-problems-than-we-thought/
Tags: Gerenciamento da Água, Escassez Hídrica, Gestão de Bacias Hidrográficas, Falta de Água, Crise Hídrica, Demanda por Água