“Cidadãos cientistas” usam drones para mapear alagamentos frutos do El Nino

Por Gillian Flaccus para Phys.org
Publicado em 24 janeiro de 2016

 

Drone El Nino Alagamentos

Foto de 07 de janeiro de 2016 fornecida pela The Nature Conservancy mostra o rio San Lorenzo transbordando em torno da praia de Santa Cruz Boardwalk, um parque de diversões à beira-mar em Santa Cruz, Califórnia. The Nature Conservancy e um grupo de ambientalistas da Califórnia estão utilizando drones para mapear inundações e danos costeiros após tempestades de El Nino com a idéia de que as imagens vão ajudar a prever como a costa se modificaria no futuro com a subida do nível do mar fruto do aquecimento global. (Matt Merrifield via AP)

Esqueça as selfies. Na Califórnia, os moradores estão usando smartphones e drones para documentar as mudanças ocorridas ao longo da zona costeira.

A partir deste mês, The Nature Conservancy está pedindo que viciados em tecnologia capturem imagens e vídeos das inundações e erosão costeira que vem ocorrendo ao longo deste perído de El Nino. Um padrão climático que está trazendo para Califórnia seu mais chuvoso inverno em anos – e tudo em nome da ciência.

A idéia é que, imagens georeferenciadas de tempestades e inundações costeiras dará aos cientistas uma prévia para o que o futuro nos reserva com o aumento do nível do mar e o aquecimento global, uma espécie de uma bola de cristal para a mudança climática.

Imagens dos últimas drones, que podem produzir mapas de alta resolução 3D, será particularmente útil e ajudará os cientistas a determinar se modelos preditivos sobre inundações costeiras são precisos, disse Matt Merrifield, diretor de tecnologia da organização.

“Usamos esses modelos projetados e eles não parecem corresponder muito bem, mas estamos sem qualquer evidência empírica”, disse ele. “Esta é essencialmente uma forma de validar esses modelos.”

Especialistas em mudanças climáticas concordam que as tempestades do El Nino permitem daum uma “olhadinha” para o futuro e disse que o projeto foi uma nova maneira de sensibilizar a opinião pública. Devido à sua natureza comunitária e conjunta, no entanto, eles alertaram que o experimento pode não atingir todos resultados esperados, embora qualquer informação adicional é útil.

f2

Foto de 20 de janeiro de 2015 fornecida pela The Nature Conservancy mostra a praia de Twin Lakes, em Santa Cruz, na Califórnia, e a Laguna de Schwann, o corpo de água à direita. (Matt Merrifield / The Nature Conservancy via AP)

“Não é a resposta, mas é uma parte da resposta”, disse Lesley Ewing, engenheiro costeiro sênior com a Comissão Costeira da Califórnia. “É uma peça do quebra-cabeça.”

Na Califórnia, quase meio milhão de pessoas, US$ 100 bilhões em bens e infra-estruturas críticas, como escolas, usinas de energia e rodovias estarão em risco de inundação durante uma grande tempestade se o nível do mar subir mais 4,6 pés – situação que poderia tornar-se uma realidade até 2100, de acordo com um estudo de 2009 do Instituto Pacífico encomendado por três agências estatais.

Praias que os californianos consideram um direito adquirido se tornarão muito menores ou desaparecerão por completo. Efeito semelhante que as tempestades de El Nino trarão, mesmo que apenas temporariamente, disse William Patzert, climatologista para o Laboratório de Propulsão a Jato da NASA.

f3

Foto de 21 de janeiro de 2016, Trent Lukaczyk, um engenheiro que constrói e opera drones para monitorar mudanças no ambiente marinho, configura um DJI Phantom para tirar fotos e vídeos sobre o litoral do Pacifico, Califórnia. (AP Photo/Jeff Chiu)

“Quando você tem uma grande maré de tempestade de inverno, como as que eles querem documentar, você tende a perder um monte de praia”, disse ele. “De certa forma, é como fazer um documentário sobre o futuro. Ele vai mostrar-lhe como suas praias se parecerão daqui 100 anos.”

O que o mapeamento não será capaz de prever exatamente é quais praias desaparecerão e o que irá desmoronar – todas as coisas que afetam o modo como as inundações costeiras impactam a população, disse Ewing, o engenheiro da Comissão Costeira da Califórnia.

“Nós não estamos indo para capturar essa mudança”, disse ela. “Nós estamos indo para capturar onde a água poderia ir com este panorama atual e que ainda é uma coisa muito importante para entender”.

f4

Trent Lukaczyk pilotando seu drone. (AP Photo / Jeff Chiu)

 

Até agora, os organizadores do projeto não estão dando atribuições de participantes, embora possam enviar solicitações específicas de acordo com o desenrolar do inverno, disse Merrifield.

Se os usuários conseguirem mapear em tempo real eventos inundações em 10 ou 15 por cento ao longo das 840 milhas da costa da Califórnia, o projeto será um sucesso, disse ele. Uma meta realista é uma “seleção curada” de mapas 3D que mostram inundações subindo e descendo a costa em datas e horários diferentes.

The Nature Conservancy estabeleceu uma parceria com uma startup da região de San Francisco chamado DroneDeploy que irá proporcionar um aplicativo gratuito para os proprietários de aviões não tripulados. O aplicativo irá fornecer padrões de vôo automatizados com o toque de uma tela, enquanto a tecnologia baseada em nuvem vai tornar o gerenciamento de dados viável, disse Ian Smith, um desenvolvedor de negócios da empresa.

f5

Trent Lukaczyk ouviu falar sobre a experiência de uma postagem em um grupo no Facebook dedicado aos entusiastas de drones. Para o engenheiro aeroespacial, que já usou drones para mapear os recifes de coral em Samoa Americana, o trabalho voluntário foi atraente.

“É uma aplicação realmente emocionante. Não é apenas algo como tirar uma selfie”, disse ele, antes de sair para coletar imagens de erosão praiana após uma tempestade no Pacifico, Califórnia.

f6 f7 f8 f9

 

Para maiores informações, acesse:

www.http://phys.org/news/2016-01-citizen-scientists-drones-el-nino.html
Tags: Inundações, Alagamento, El Nino, Mapeamento, Gerenciamento Costeiro, Robótica, Drone, Modelo Numérico de Terreno, Climatologia, Ressacas, Nível do Mar, Aquecimento Global